Metalização




Aluminização à vácuo de espelhos


A metalização ou aluminização é uma película de alumínio aplicada sobre as superfícies ópticas dos espelhos de todos os telescópios refletores. Este é um componente importantíssimo, pois é essa camada a responsável pela reflexão da luz captada pela óptica do telescópio. Uma boa metalização reflete cerca de 90 % da luz captada e os outros 10 % são absorvidos pela óptica. Assim como toda a óptica do telescópio, a metalização deve também apresentar grande qualidade e precisão. A metalização é uma camada extremamente fina onde a espessura é da ordem de décimos de micron. A camada deve ser fina e uniforme justamente para não alterar a precisão óptica que foi dada à superfície do espelho durante toda a fase de polimento e correção da óptica.



Processo de metalização


A camada de metalização é aplicada na superfície do espelho em um equipamento apropriado que trabalha com vácuo. Para uma boa aderência do alumínio, além de uma limpeza apropriada da superfície do espelho, é preciso um vácuo da ordem de 10-5 mbar, em outras palavras cerca de cem milhões de vezes menor que a pressão atmosférica da Terra.
Dentro do equipamento encontramos um filamento de tungstênio onde é colocado um pequeno pedaço de alumínio. O equipamento é então fechado com o espelho já posicionado e para garantir uma camada uniforme, o suporte que sustenta o espelho possui uma rotação produzida por um motor elétrico. Em seguida é feito o vácuo e quando o equipamento é ligado, o filamento de tungstênio atinge temperaturas da ordem de 2500 ° C.
O alumínio, que estava dentro da espiral do filamento, se transforma em vapor. Isso ocorre, pois o ponto de fusão do alumínio é da ordem de 900 ° C. Dentro do equipamento forma-se uma espécie de nuvem de alumínio e a superfície do espelho fica toda metalizada quando esta nuvem encontra uma superfície perfeitamente polida. Em seguida a película de alumínio recebe uma outra camada de dióxido de silício que protege a metalização tornando essa camada mais resistente e durável.


A aluminização é também muito sensível e muitos cuidados devem ser tomados para que essa camada tenha uma boa durabilidade. O telescópio nunca deve ficar em lugares úmidos, pois o excesso de umidade pode oxidar o alumínio. Não é recomendado limpar o espelho constantemente, pois isso pode provocar riscos na metalização. Para evitar uma limpeza constante deixe sempre a extremidade do tubo do telescópio fechado para evitar o acúmulo de poeira nos espelhos.


Equipamento de metalização do Laboratório Nacional de Astrofísica - Brasópolis.


Espelhos secundários (newtoniano) e conjunto primário com secundário metalizados.


Telescópios - Site do construtor de telescópios Sebastião Santiago Filho

Contato: telescopios@outlook.com

Início

Telescópios

Óptica

Componentes

Astronomia

Telescópios - 2018 - São Paulo/SP - Brasil

Telescópios Refletores e Catadióptricos